FILTRE SUAS NOTÍCIAS POR DEPARTAMENTO

EBITDA ajustado da Biosev cresce 45,4% e atinge R$ 588 milhões no trimestre

voltar
ebitda-ajustado-da-biosev-cresce454-e-atinge-r588-milhoes-no-trimestre
Foto: Divulgação
A Biosev S.A, uma das líderes do setor sucroenergético, fechou o terceiro trimestre da safra 2017/2018 (3T18) com EBITDA ajustado de R$ 588 milhões, crescimento de 45,4% em relação ao mesmo período da safra anterior. No 9M18, o EBITDA foi de R$ 1.279 milhões. Esse desempenho foi resultado dos maiores volumes vendidos e da redução de custos operacionais obtida com o processo de otimização de custos e readequação de estruturas em curso na empresa.
 
A moagem atingiu 29,1 milhões de toneladas nos nove meses da safra 2017/2018, valor praticamente em linha com o registrado no mesmo período da safra anterior. O polo Ribeirão Preto (RP) registrou crescimento de 1,6%, com moagem de 15,8 milhões toneladas, enquanto o polo Mato Grosso do Sul (MS) se manteve em linha com os resultados do ano passado, com moagem de 7,3 milhões de toneladas. 
 
O volume de produção de ATR (Açúcar Total Recuperável), medido pelo ATR produto, teve alta de 2,8% em comparação ao mesmo período da safra anterior. Esse crescimento é decorrente principalmente do crescimento de 0,7% no ATR cana, que atingiu 131,9 kg/ton, refletindo principalmente a melhora no manejo dos canaviais e a adequação dos perfis varietais, combinado com ganhos de eficiência industrial.
 
A produtividade agrícola da companhia, medida pelo TCH (Tonelada de Cana por Hectare), ficou em 80,2 ton/ha no 9M18, aumento de 0,8% em relação ao 9M17, com destaque para o Polo MS, onde a produtividade cresceu 5% no período e o TCH atingiu 85,1 ton/ha, como resultado da aplicação de tecnologia e das boas práticas agrícolas.
 
A receita líquida atingiu 5,3 bilhões no 9M18, com aumento de receita nas principais linhas de produto. A receita do açúcar atingiu R$ 2,8 bilhões, aumento de 12,2% em relação ao mesmo período da safra 2016/2017. Esse resultado reflete principalmente o crescimento de 11,1% dos volumes vendidos, com destaque para a alta de 25% do volume de exportações e de 1,0% do preço médio no período. A receita líquida de etanol foi de R$ 1,5 bilhão, acréscimo de 12,0% em relação aos nove meses da safra anterior. Esse resultado deriva do aumento de 23,2% no volume vendido com o mix de produção mais voltado para o etanol diante da maior rentabilidade apresentada desse produto em relação ao açúcar. A receita líquida de energia de abril a dezembro foi de R$ 281 milhões, um aumento de 53,1%, em função principalmente do aumento de 45,9% dos preços médios, alavancados pela elevação do PLD (Preço de Liquidação das Diferenças) como consequência da redução dos níveis de água dos reservatórios na região Centro-Sul do País.
 
Como um bom indicador do andamento do plano de redução de custos divulgado ao mercado, a companhia apresentou redução de custos nas comparações trimestrais e no acumulado do ano-safra. O Custo dos Produtos Vendidos (CPV) caixa ex-revenda em bases unitárias apresentou uma redução de 21,6% no 3T18 e de 9,3% no 9M18.
 
“Avançamos nesse trimestre na implantação do programa de redução de custos, otimização de processos e estruturas que apresentamos ao mercado, com objetivo de trazer uma maior resiliência aos nossos resultados mesmo em cenários de preços desafiadores”, afirma Rui Chammas, presidente da Biosev.
 


Fonte: FSB Comunicações

  • Imprima
    essa Notícia
  • Faça um
    Comentário
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Newsletter

Receba as novidades no seu e-mail.